Samuel (segundo livro)

Do Senhor já se sabe
Seu modo intrínseco de ver,
consideremos o crer
bem que muito nos vale.

Davi, filho de Jessé,
Samuel, de Elcana.
Em Deus colocaram a fé,
não houve fé humana.

Ao profeta e juiz de Israel,
jovem, não quis se corromper
com os que bois deveriam oferecer.
Em boa velhice foi,
cumpriu seu papel.

Ao ruivo, de ovelhas pastor,
lhe sobreveio
perseguição e horror.
Mas, de sua fé, não criou apostasia
e Deus fez a partir do amargo alegria.

De fugitivo, rei
que, pelo povo, foi pedido.
Saul, abatido,
desobedeceu Dele a lei.

Houve, após, perseguição
provinda do próprio filho Absalão.
Por sua morte perdeu o sono
ao retornar, triste, ao trono.

Também procurou um templo construir
para Deus habitar por aqui.
Natã foi ao rei advertir,
“para isso o Senhor não escolheu a ti.”

Isso não o desanimou em nada,
não ficou chorando na calçada.
Juntou material para a construção
que feita seria por seu filho Salomão.

A vida de Davi fascina e inspira,
tanta história que falta a rima.

Natanael Melo