Não conseguia dormir.
Tinha vontade de sumir.
Só me restava virar pó.
Hoje acordei como Jó.

Levantei-me na noite
na alta madrugada
para dar em mim açoite
já que não me resta nada.
Na cena a lembrar
do homem e a úlcera
com o vidro a se cortar
aos olhos da adultera
ainda vem sua dona
não sabe que não socorre
“Amaldiçoa esse Deus
e vê se, logo, morre!”
“Louca
é Ele que faz o bem
e não daria
o mal também?”

Na dor intensa
ele persevera
enquanto espera.
Percebi
que não acordei
como Jó.

Natanael Melo