Miquéias

O Senhor vem.
Ele desce
do Seu trono,
do Seu lugar.
O choro de lamento cresce
àquele que o mal maquinar
junto ao enganoso profeta.
A junção de Israel é certa.

Profetizais
por dinheiro?
Ensinais
por conveniência?
Fazeis grande mal ao alheio
sem pesar vossa consciência.
Por isso Jerusalém sofrerá,
Deus aos gentios chamará.

Há de vir
também o Messias,
o prometido
vindo de Belém.
Ouviu-se disso utopias,
morreu em Jerusalém.
Apascentará com amor
pela majestade do nome do Senhor.

“Mas ainda pecais”,
diz Deus,
“e com o que
te fiz cansar?
Sabem o que fazer os Meus,
devem justiça e amor praticar.”
Por amar a parcialidade
lhe será dada crueldade.

Agora Israel
não é digna,
fugiu dela
a divina moral.
Iniquidade nela resigna,
trazendo fruto ruim, mortal.
Entretanto haverá esperança,
de ti o Senhor terá lembrança.

A misericórdia
lhe é prazer,
é passageira,
breve Sua ira.
Contente é no pecado absolver,
no perdoar sente muita alegria.
As iniquidades Ele há de pisar,
as jogará às profundezas do mar.

Natanael Melo