Regando a fé (segunda parte)

Sei que esta é minha última leitura e tentarei fazê-la da melhor maneira possível.

Quando me chamaram para participar desse grupo de extermínio de cristãos, já que em nosso país o cristianismo é proibido, embora não gostando muito disso, decidi colaborar já que seria bom o dinheiro que receberia. Eu não estava acostumado no começo. Matar pessoas pela fé que possuem? Por que fazem isso? Questionei um colega de trabalho sobre isso uma vez e quase que sobrou pra mim. Desde então entendi que nenhuma pergunta sempre é o melhor argumento.

Entretanto, tinha em mãos um texto. Passaram-se alguns meses desde que participei do assassinato do poeta de Deus. O texto é dele. Tinham me pedido pra jogar fora, mas fiquei com ele mesmo assim, escondido. Assim como os outros, o medo não era presente nos olhos do poeta em frente a morte. Por que não temia a morte? O que é essa vida que lhe faz ressuscitar e viver eternamente? Isso não faz o menor sentido.

Foi por isso que decidi pegar o livro proibido e ler suas palavras. Há alguns exemplares no setor administrativo para estudos e não podem ser retirados de lá. Mesmo assim o fiz. E não me arrependo. Hoje me arrependo de tudo o que antes fizera. Todas as mentiras, falsidade, inveja, malícia e corrupção que antes tomavam conta do meu ser me arrastavam para a pior das consequências, o fogo eterno, a ira de Deus.

Assim como o poeta escreveu suas últimas frases, aqui escrevo as minhas. E sei que, pelo nome que está acima de todo nome, Jesus Cristo, e pela fé que Nele depositei, tenho meus pecados perdoados, minha vida salva e transformada. Sei também que este nome é proibido por aqui, por agora. Haverá, porém, um dia, que todos os seres desse universo, de todos os tempos, se colocarão de joelhos e louvarão Seu santo e bendito nome. Minha esperança é que vocês, ao lerem este texto, se arrependam assim como eu me arrependi e corram para a salvação em Jesus.

Me desculpa, poeta, por ter ver morrer. Mas obrigado, pois, por sangue e letras, me foi indicado o caminho à vida eterna. Daqui a pouco já estou contigo e com o Mestre.

Natanael Melo