Ao mar novamente

Cá estou
às ondas e ao sol
de novo
As águas conclamam
‘onde vão desta vez?’
Não sei responder

São barcos à deriva
caravelas rumo ao desconhecido
Há quem procure tesouros
e quem se perca em ilhas
Uns sem rumo porque querem
e outros mesmo com bússolas
não encontram o caminho de casa

A tempestade noturna
tudo tira de todos
e os traga ao abismo
gélido e inóspito
Resta
a quem sobrevive
pela escaldada
sedenta boca seca
olhos ressecados
em um mar de água salgada

‘Onde vão desta vez?’
Todos sempre vão
para o mesmo lugar
e não há homem que mude
seu último destino
‘Pode alguma coisa você fazer?’
Somente Aquele
que anda sobre as águas
e sabe onde pescar homens
que ordena às ondas que parem
e às tempestades que cessem
Somente Ele
pode livrar
a todos
do inevitável

Natanael Melo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s